terça-feira, 26 de agosto de 2014

Adrenaline Rush - Adrenaline Rush (2014) Suécia



Longe vão os dias em que o hard rock era exclusivamente uma coisa de rapazes, o papel das mulheres dentro do género limitado apenas para rolar sobre o capô de um Jaguar - pelo menos, parece que sim! Embora os anos 80 viu a ascensão (e queda) de algumas bandas de rock liderada por mulheres notáveis – pense em Femme Fatale ou Saraya - agora há cada vez mais grupos que seguem a fórmula, a banda sueca Adrenaline Rush é uma delas. Gravado sob os auspícios do Erik Mårtensson (de Eclipse e W.E.T), seu álbum de estréia auto-intitulado foi lançado este ano, em agosto, via Frontiers Records.
Talvez o membro mais reconhecível da banda é a vocalista Tave Wanning, ex-Peaches pop duo. Enquanto muitos (a maioria do sexo masculino) compositores de rock vão encontrar muito prazer em adornar sua aparência, ela tem uma voz muito forte à sua disposição, com uma maneira de cantar que lembra um pouco Janet Gardner do Vixen. Ela soa muito mal-humorada na abertura "Black N’ Blue", uma faixa de melódico hard rock impulsionado por um agressivo e moderno riff de guitarra.
De seguida, estão o single "Change" e "Generation Left Behind", rock contemporâneo simples ilustrado com letras rebeldes cantado pela Miss Wanning. A infusão sleaze festiva do hino "Girls Gone Wild" se segue, não deixando nenhuma dúvida de que esta música em particular pode - e deve - ser "Girls Just Want To Have Fun" da década de 2010. Bem, pelo menos nos círculos orientados ao rock! Ela fica um pouco mais lenta - e um pouco mais séria, para uma mudança - em “When We’re Gone,” um mid-tempo sombrio com alguns licks de guitarra pendentes.
Os ecos de rock dos anos 80 ressoam no teclado "Want It All", seu refrão bem trabalhado, sendo um dos destaques do álbum. Musicalmente, a próxima faixa "Too Young To Die" pode lembrar uma destas bandas como Blue Tears, Brighton Rock ou Hot Boy, pois Adrenaline Rush tem gravitando novamente em direção ao melódico hard rock dos anos 80 / AOR. Com "Oh Yeah", obtém-se um pouco de blues e uma dose sólida do hard rock, aparente ser a influência de Aerosmith.
Em seguida é "No No No", com suas letras rebeldes contra o fundo de riffs de guitarra, culminando num solo alucinante. Tanto o trabalho de guitarra estelar e a estrutura do coro em "Playin’ To Win" trazem à mente Gary Moore nos anos 80 de - e, certamente, é mais um dos pontos mais brilhantes de todo o trabalho. O final "Hit You Like A Rock" é novamente simples e hard rock barulhento com alguns toques modernos, talvez genéricos, mas, no entanto, agradáveis.
Quanto mais Adrenaline Rush caminha, melhor ele fica. As primeiras faixas podem não revelar inteiramente o que é extraordinário na banda, sendo "apenas" hard rock leve, com um pouco de moderno sleaze / glam metal. No entanto, o melhor está por vir com teclados tipo AOR ilustrando "Too Young To Die" ou os pendentes harmonias vocais estilo Aerosmith "Oh Yeah". Na sua totalidade, no álbum é garantido que fornece a chamada "adrenaline rush" (“descarga de adrenalina”) a cada ouvinte que tem hard rock dos anos 80 correndo nas veias.



Temas:
1. Black N’ Blue
2. Change
3. Generation Left Behind
4. Girls Gone Wild
5. When We’re Gone
6. Want It All
7. Too Young To Die
8. Oh Yeah
9. No No No
10. Playin’ To Win
11. Hit You Like A Rock

Banda:
Tave Wanning – lead vocals
Ludvig Turner – lead guitar, vocals
Alexander Hagman – guitar, vocals
Soufian Ma’Aoui – bass, vocals
Marcus Johansson – drums



Sem comentários: