vote

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

LANCER - LANCER (2013) Suécia



Power metal, porém infelizmente, parece estar sendo substituído por outro género de metal lá fora, mais saturado com a mesma coisa refeito com um novo nome e nova capa, mas sempre popular. As bandas de metal decentes lá fora, estão lutando por ouvintes, lutando pelo reconhecimento que merecem, e marchar sobre a batida de seu baterista. O que os grandes nomes do power metal, como Gamma Ray e Helloween têm isso, eles não? LANCER banda sueca de power metal, muito possivelmente uma das mais fortes bandas para bater a cena power metal nos últimos 20 anos. Eles lançaram seu auto-intitulado álbum de estreia, em janeiro de 2013. Misturando estilos vocais que lembram Michael Kiske, trabalho de guitarra speed metal com influência definitiva de Malmsteen, Steve Harris com a presença no baixo e bateria forte, esta é uma formação sólida para ser levada a sério. LANCER tem duas realizações, uma demo e um EP. Quase quatro anos de produção, este álbum de estreia é nada menos do que notável power metal e quando ouvi a primeira vez eu senti como se fosse um álbum de power metal perdido de 1980 que só pode ter sido ofuscado por "Keeper of the Seven Keys”.
Para um primeiro álbum completo a qualidade da produção é nada menos que incrível. Após a investigação, ficou claro o porquê de o que é. O álbum foi produzido por Tommy Reinxeed e Milianowicz Ronny, conhecido por seu trabalho com Hammerfall, Timo Tolkki, Wolf, e Michael Kiske. Produção aparte, este álbum está cheio com a revitalização e verdadeira música power metal, incluindo melodias e refrões em camadas perfeitas que levam a inúmeros momentos memoráveis espalhados em cada canção.
É muito estranho ouvir todas as semelhanças no álbum da era de 80 e 90 como Helloween, Iron Maiden e Gama Ray. Seria muito fácil ouvir momentos de cada música e compará-los com os álbuns e faixas que definitivamente influenciam qualquer power Metaller. O álbum está cheio de tom épico e clássico, mas ainda consegue trazer a música original e fresca para uma enfraquecida cena power metal. Esta banda definitivamente poderia ser responsável por uma revitalização mundial do power metal em 2013. Abrindo o álbum é o primeiro single da banda "Purple Sky" único que possui um refrão forte com a presença vocal incrível por Isak Stevall, e o trabalho matador de guitarra por Frederik Kellemen e Peter Ellström que qualquer fã de speed metal cairia de joelhos. Na segunda faixa, " The Exiled " um flashback sério de Iron Maiden é presente na ponte, como Isak usa sua gama inferior cantando "Don’t you ever run…", produzindo uma antecipação enervante para o que o resto da música pode trazer, e é claro que não decepciona.
"Seventh Angel" traz uma introdução de teclado para a ribalta, enquanto Isak usa mais de um tom de clássico Heavy Metal a sua voz aguda em vez do mais elevado estilo power metal. Ele realmente mostra grande talento vocal e ampla variedade como se Bruce Dickinson e Kai Hanson tivessem algum canto milagroso. Os riffs são clássicos, o baixo e a bateria funcionam bem juntos num verdadeiro estilo de força, completa com baixo-tempo solos de guitarra blues, esta é uma faixa fantástica e bem escrita. Infelizmente, como o álbum se vai a magia e não é tão forte nas faixas posteriores, portanto LANCER definitivamente coloca seu melhor na frente. " Between the Devil and the Deep " é um grande final para o álbum, embora não tão forte quanto a primeira metade do álbum, que tem um tom mais melancólico, trazendo o álbum para perto de fazer qualquer ouvinte querer mais.
É necessário para qualquer fã de power metal / heavy metal ter este álbum de LANCER, é muito clássico, mas fresco, cheio de gancho após gancho. Esta é uma versão forte, digna de alguma atenção.



Temas:
1. Purple Sky --- 04:072
2. The Exiled --- 05:34
3. Young and Alive --- 04:35
4. Seventh Angel --- 07:16
5. Don't Go Changing --- 03:49
6. Dreamchasers --- 03:25
7. Mr. Starlight --- 05:05
8. Deja Vu --- 05:15
9. Between the Devil and the Deep --- 06:33
Total time: 45:38

Banda:
Sebastian Pedernera -- Drums
Fredrik Kelemen -- Guitars
Peter Ellström -- Guitars
Isak Stenvall -- Vocals
Emil Öberg -- Bass 





Sem comentários: