vote

sexta-feira, 13 de março de 2015

Almah - Unfold (2013) Brasil


Eis-nos então com uma das mais esperadas edições deste ano. E esperada porquê? Edu tornou-se num dos mais conceituados vocalistas da actualidade; seja no Brasil, sua terra natal, seja a nível internacional, mais específicamente na europa; apesar de que nos estados unidos a sua performance a solo, com os Angra ou nestes Almah seja muito bem aceite, e prova disso é a entrevista feita aos musicos do Project: Roenwolf, que tive o previlégio de fazer e postar aqui neste vosso blog.
Edu é visto por grandes musicos como um possível suporte para qualquer projecto que estejam a preparar e isso é o melhor sinal da sua capacidade profissional. Tão profissional a cantar como a compôr. E assim chegamos ao seu novo trabalho, que ainda está a preparar a sua edição oficial mas que já vazou na net.
Power\prog metal melódico, com um livre-trânsito alternativo, um disco poderoso! Apenas acho que o tom está excessivamente baixo o que abafa a exposição geral dos instrumentos e torna tudo um pouco confuso, como se fosse preciso repetir aqueles momentos em que falhamos a percepção, logo de imediato para interiorizar e perceber o que deixamos passar. Realmente, aqui o titulo poderia dar uma ajuda, unfold=desvendar; era isso mesmo o que deveriam ter visto na produção. Mas isso é uma percepção minha, provávelmente poucos de vós serão aqueles que pensarão como eu; e daí...
mais uma vez, o lado social está nas composições. Coisa natural, cada vez mais somos oprimidos pela força do dinheiro e de alguns que estão sentados em pilhas de dinheiro que nunca irão gozar, mesmo que a inflação subisse milhões por cento, são eles que a fazem subir e descer, por isso nada de mau lhes acontecia. Infelizmente não são capazes de deixar de fumar charutos enrolados de notas é um prazer demasiado poderoso para perder com pensos de nicotina. Decididamente concordo com aqueles analistas económicos que dizem que o castigo deles e nosso será vê-los sentados em cima dessa pilhas de dinheiro sem qualquer valor depois de uma revolução mundial que vai levar muita gente inocente para o mundo dos mortos. Mas será que somos mesmo inocentes? Se vivê-mos em sociedade temos que contribuir para ela, por obrigação e por convicção, e é nesta ultima parte em que não somos tão inocentes assim, votar é um dever e não deve de ser feito levianamente como se de um jogo de futebol se tratásse, ou de uma ferverosa escolha religiosa, é o nosso bem estar e o dos nossos filhos que está em causa, há que ver por entre todos os mentirosos quais são aqueles que nos dão mais garantias de um futuro mais estável. É dificil, eu sei mas necessário, vejam até onde a preguiça nos levou. Voltando à musica que é disso que se trata agora, apesar de que na musica tudo isto está implicito nas palavras e sentimentos dos artistas com consciência e que deste modo choram conosco; temos aqui algo de muito interessante até porque era uma incógnita saber se Edu iria expandir o projecto Almah ou passar despercebido até encontrar algo possante para reaparecer após a saída dos magnificos Angra. Eis a resposta! Almah é mesmo para levar a sério e atrevo-me a dizer que vai ficar ao lado de Angra para não dizer algo mais. Noto ambientes e melodias que vi no último disco de Within Temptation, potentes compassos alternativos, e uma força progressiva demasiado consistente para se deixar passar. 12 temas num disco que recomendo a todos os niveis e que certamente estará na linha da frente para muitos e positivos comentários, para não dizer prémios durante este ano de 2013, que está a pouco menos de 2 meses de terminar. Edu nem precisa de palavras para descrever a sua prestação, merece um projecto destes e maior ainda. Técnicamente sem falhas, grupo de musicos perfeito!
McLeod Falou!



Тemas:
1. In My Sleep (4:17)
2. Beware the Stroke (5:32)
3. The Hostage (4:02)
4. Warm Wind (4:58)
5. Raise the Sun (5:06)
6. Cannibals in Suits (4:59)
7. Wings of Revolution (4:47)
8. Believer (5:39)
9. I Do (5:06)
10. You Gotta Stand (5:04)
11. Treasure Of The Gods (9:47)
12. Farewell (3:40)

Banda:
Edu Falaschi (Angra) - vocals
Marcelo Barbosa - guitars
Gustavo Di Padua - guitars
Raphael Dafras - bass
Marcelo Moreira – drums





Sem comentários: