vote

terça-feira, 2 de junho de 2015

WHITECROSS - NINETEEN EIGHTY SEVEN (2005) USA



1987, em plena febre do Hard\hair metal um quinteto apresenta o seu Debut, "1987". Talvez pelo facto de serem catalogados de Christian Metal passaram ao lado da megalomania. Sub-valorizados os WhiteCross de Rexx Carroll ainda assim não passaram ao lado daqueles que sabem apreciar a qualidade, e vários foram os prémios que ganharam. Varios àlbums depois, câmbios de formação e interregnos, a ideia de regravar o muito procurado disco de estreia; "1987"; foi posta em prática, e fizeram exactamente aquilo que um musico com sentido de responsabilidade e profissionalismo deve de fazer, elevar aquilo que já estava bem feito para um patamar sonoro actualizado e sem floreados para atrair abelhas gordas e preguiçosas; está como era e melhorado sónicamente! Podem entender como quiserem, mas isto é o que penso sobre reedições, floristas há muitos, mas trazer o passado de volta com a respectiva actualização técnica já não se pode dizer o mesmo. WhiteCross fizeram-no em 2005 e bem podem dar-lhes mais um prémio porque a resultado final é do melhor que já ouviram! Agora o conteúdo; Ratt, Dokken! E na mesma qualidade. Rexx Carroll não fica atrás de George Lynch ou Warren DeMartini, para muitos o factor lirico aludindo ao cristianismo pode ser algum tipo de impedimento; não tem gajas a esfregarem-se no varão só com fio dental e carros a alta velocidade pelas alamedas de L.A. Cheios de jovens carregados de jack daniels e Budweisers até o sol nascer; não aludem à religião do SEX, BOOZE AND ROCK'N'ROLL ALL NIGHT; mas depois de começarem a ouvir querem lá saber, este disco, literalmente ROCKS!!!!
O vocalista lembra-me um pouco a Henrik Ostergaard dos Dirty Looks, por isso se já estão a imaginar a mistura, Ratt Dokken, Lynch, Dirty Looks é mesmo isso o que vos espera, e,.... de primeira qualidade!! Hoje, aparece em grande fulgor a reedição da reedição. confuso? Não. A edição de 2005 esgotou e ficou fora de edição durante estes 8 anos e agora volta a ver a luz do dia, e apesar de ser um remake fiél e com os mesmos personagens é quanto a mim uma das melhores edições deste ano a nivel geral. Scott Wenzel e Rex Carroll remasterizaram e regravaram todo o alinhamento original e mais dois temas bonus. Um instrumental de Rexx; "Re-Animate"; e um tema do seu EP de 1988 "Love on the line". Até parece que estamos de volta aos 80, é revigorante voltar a ouvir este som; sejam louvados, rapazes! E sabem outra coisa? Não existe um tema mau neste disco, é demasiadamente bom para deixarem passar.
Não posso deixar de vos recomendar este disco, o dinheiro é bem empregue e a banda merece todos os centavos. Uma fenomenal edição para todos os fiéis deste género musical que é o rock, o oxigénio da eterna juventude, que pode não ter tido o impacto dos multi-platinados Ratt, Dokken, Van Halen, Stryper mas que é tão bom e melhor do que algumas das edições destas monumentais bandas; Obrigatório!
McLeod Falou!


Temas:
01 - Who Will You Follow
02 - Enough Is Enough
03 - He Is The Rock
04 - Lookin' For A Reason
05 - No Way I'm Goin' Down
06 - Seein' Is Believin'
07 - All I Need
08 - Nagasake (feat. Rex Carroll)
09 - Signs Of The End
10 - Love On The Line
11 - Re-Animate (feat. Rex Carroll)
12 - Enough is Enough (outtake)
13 - No Way I’M Goin’ Down (Outtake)
14 - Love on the Line (Outtake)
15 - Scotty (Outtake)

Banda:
Scott Wenzel - lead vocals
Rex Carroll - guitar, bass and backing vocals
Michael Fieghan – drums

Additional Musicians:
Antonio Acevedo - bass (1,2,3 & 11) and backing vocals
Dave Parker - backing vocals


Sem comentários: