segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Junkyard Drive - Sin & Tonic (2017) Dinamarca



O quinteto dinamarquês Junkyard Drive, formado em 2014, traz-nos o álbum de estreia que tem tudo o que se pode esperar de um clássico / sleaze rock. Com influências citadas como Guns N 'Roses e AC / DC estes músicos pretendem trazer o clássico rock dos anos 80 influenciado por rock' n roll com um toque moderno, e fazem isso muito bem.
Em 2014 editaram o EP Junkyard Luxury e é claro que as coisas mudaram muito mais para banda a partir daí. Gravado no Medley Studios em Copenhague, seu novo álbum Sin & Tonic abriga um movimento distinto para um som mais completo.
"If You Wanna Rock Me" é um tema de abertura perfeito para o álbum e serve-se de uma ideia sólida do que se pode esperar através de dez faixas clássicas de clássico rock. Temos todos os ingredientes certos acontecendo aqui: riffs cativantes, coros bonitos e a estrutura padrão da canção carregada com solo de guitarra, o que significa que nos momentos em que a banda pisa fora da zona de segurança, sua atenção é chamada de volta.
A próxima faixa que isso realmente acontece é blues-heavy lento e sleazy "Natural High". O som completo com cinco músicos realmente funciona numa faixa como esta, onde as guitarras solo e ritmo são frequentemente tocadas juntas para dar uma parede sónica de guitarra grungy, apoiada por vozes agradáveis e bateria limpa.
Os temas líricos não são complexos nem demasiado amargos-doces e arriscam-se a permanecer fiel a si mesmo, como no feliz "Take It All" e o mais rápido "B.A.D". Eu tenho que dizer que não estou muito interessado em "Drama Queen" ou "Stone Cold Lady" com as observações sobre mulheres e como eles se comportam, mas talvez tenha a haver com o território de sleaze rock.
O vocalista Kris tem uma ampla gama vocal e pode cantar baladas suaves, bem como dar gritos de alta energia e emoção. Ambos são colocados em excelente uso no recente lançamento de sua excelente interpretação da antiga clássica balada folk "Geordie", onde os ouvintes deram um pouco de brilho, com mais de 22.000 visualizações no YouTube em apenas três semanas.
Faixa final "Slave to Technology" tem uma cultura pop moderna e como somos demasiado viciados nos nossos smartphones e redes sociais que esquecemos de como socializar. No geral, é um álbum otimista e não estaria demasiado fora de lugar numa viagem de Verão com as janelas abertas e um som explosivo.





Тemas:
01. If You Wanna Rock Me
02. Bone Dry Jessie
03. Drama Queen
04. Natural High
05. Take It All
06. B.A.D
07. Danger Zone
08. Stone Cold Lady
09. Geordie
10. Slave To Technology
Banda:
Kris - Lead Vocal
Birk - Lead Guitar / Backup Vocal
Benjamin - Rhythm Guitar / Backup Vocal
Mikkel - Bass
Claus – Drums




Sem comentários: