Axel Rudi Pell - Knights Call (2018) Alemanha



O fértil alemão Axel Rudi Pell está de volta com outro trabalho comprometido no power / melodic metal. Como um relógio, ele lança um álbum de material novo a cada dois anos. 'Knights Call' é a décima sétima versão de Pell desde que deixou os Steeler em 1989.
Este álbum não está com a fórmula testada e confiável de trabalhos anteriores. Isso será um alívio para os fãs da Continental que compram música em caminhões e reúnem shows. Embora menos avidamente seguiu no Reino Unido, o 'Game of Sins' de 2016 decepcionou brevemente as tabelas de rock e metal. Este é um seguimento decente o suficiente.
O tema de abertura 'The Medieval Overture (Intro)' apresenta um tom extraordinário antes de o álbum entrar nas duas faixas mais fortes. 'The Wild e Young' e 'Wildest Dreams' se alimentam de riffs e coros melódicos. O último é sustentado por alguns floreados bem-sucedidos de Hammond. Mais tarde, 'Follow The Sun' é um excelente brinde.
'Truth and Lies' é uma divertida montra do meio-ritmo da guitarra habilidosa e inventiva de Pell. A faixa também apresenta algumas divertidas pausas de teclado de Ferdy Doernberg e algumas atraentes linhas de baixo são cortesia de Ferdy Doernberg.
Como é típico do material de Pell, as faixas épicas são fortes e rápidas. A balada semi-acústica, 'Beyond The Light' é provavelmente a melhor delas. Grande solo.
'The Crusaders of Doom' está bem junta, com um ótimo trabalho de Pell, se apenas um pouco trabalhada com mais de oito minutos. 'Tower of Babylon' é para fechar o álbum e os relógios com um pouco menos de 10 minutos. Mais uma vez, a faixa é competente e cuidadosamente elaborada com um som adorável. Mas o problema é que uma mistura de Stargazer com Kashmir para ser uma audição difícil. Quase um tributo a ser levado a sério.
Johnny Gioeli o vocalista com um tom grave e muito power, sobretudo no "Beyond The Light". Estou tentando evitar as comparações óbvias, mas há algo de Klaus Meine nos arranjos vocais. Embora não esteja no conteúdo. As letras muitas vezes retornam ao bom medieval versus território malvado. Basta castelos e cruzadas e cavaleiros para ter mantido Ronnie James Dio no negócio, Deus descansa no seu coração nobre.
Os únicos temas menos interessantes são "Slaves on the Run" e "Long Live Rock", que é muito clichê e decadente para ser um verdadeiro hino.
Tudo aqui é bem tocado e lindamente produzido com alguns bons momentos entre alguns mais comuns.





Temas:
01. The Medieval Overture (Intro) (1:43)
02. The Wild And The Young (4:20)
03. Wildest Dreams (5:43)
04. Long Live Rock (5:34)
05. The Crusaders Of Doom (8:01)
06. Truth And Lies (4:48)
07. Beyond The Light (7:45)
08. Slaves On The Run (5:13)
09. Follow The Sun (5:12)
10. Tower Of Babylon (9:50)
Banda:
Johnny Gioeli - Lead And Backing Vocals
Axel Rudi Pell - Lead, Rhythm And Acoustic Guitars
Ferdy Doernberg - Keyboards
Volker Krawczak - Bass
Bobby Rondinelli – Drums

Promo facebook
Share on Google Plus

About Roxx World

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário