vote

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Machinae Supremacy - Phantom Shadow (2014) Suécia


Machinae Supremacy da Suécia têm-lhe chamado muitas coisas por muitas pessoas: os inovadores, pioneiros, mestres da era digital para a sua capacidade de usar a Internet para espalhar a sua música através de downloads gratuitos de seu site, mas também através do controverso Pirate Bay. Eles também são os criadores auto proclamados e principais fornecedores de SID metal, usando uma SidStation que possui o chip SID do computador pessoal Commodore 64 do passado. A banda retorna com seu quinto trabalho, Phantom Shadow, supostamente um álbum conceitual, mas eu não consegui encontrar informações suficientes para comprovar isso.
Independentemente do que tu pensas em usar SID, os chiptunes mais onipresentes, ou arquivos MIDI, Machinae Supremacy tem um talento especial para criar metal melódico muito cativante. Este é um híbrido com o material SID sendo apenas um elemento e supostamente minimizado neste álbum. Eles também misturam classic heavy metal, power metal, e talvez alguns ligeiros acenos para o alternativo. Muitas vezes, quando eu escuto a combinação de chiptunes, outros teclados e groove saltitante da seção de ritmo em algumas músicas, a banda e o som mais parecido com disco ou dance metal, tendo The Second One como um exemplo.
Mas não tanto através deste álbum. Há algumas coisas muito heavy aqui nomeadamente com Phantom Battle, Throne of Games, Beyond Good & Evil, ou Versus. No entanto, as músicas não estão sem alguns contratempos ou continuam proferidas em contrariedade o ritmo estimulante e atmosfera densa fornecida por riffs e sintetizadores ou chiptunes. É um pouco difícil de distinguir entre o que é apenas uma criação de computador ou sintetizadores e guitarras reais. O último terço de Beyond Good & Evil é um bom exemplo. O SID é óbvio quando se trata, mas, em seguida, funde-se com o que poderia ser SID ou sintetizadores convencionais, seguido por um solo de guitarra.
Mas isso pode ser o teste criativo de Machinae Supremacy. Sua mistura de instrumentação nos arranjos é mais transparente, fazendo do seu metal uma experiência rica e texturizada. Quando eles misturam seus elementos numa vibe power metal progressivo com Hubnester Rising, torna-se vital e intenso. Quando eles formam isso com mais melodic hard rock groove como com The Villain of This Story, torna-se rápida, acessível e simplesmente cativante. Em certo sentido, Machinae Supremacy poderia ser considerado um tanto enigmática, com o seus géneros de metal híbrido misturado com chiptunes. Se há alguma coisa que vai manter seu interesse. Phantom Shadow é mais um bom trabalho da banda.




Temas:
01. I Wasn’t Made for The World I Left Behind
02. The Villain of This Story
03. Perfect Dark
04. Europa
05. Throne of Games
06. Meanwhile in The Hall of Shadows
07. Phantom Battle
08. Captured (Sara’s Theme)
09. Renegades
10. Beyond Good and Evil
11. The Second One
12. Redemption Was Never Really My Thing
13. The Bigger They Are The Harder They Fall
14. Versus
15. Mortal Wound (Skye’s Requiem)
16. Hubnester Rising

Bnada:
Vocals: Robert Stjärnström
Guitars: Jonas Rörling & Tomi Luoma
Bass: Andreas Gerdin
Drums: Niklas Karvonen





Sem comentários: